17/12/2019 às 20h15min - Atualizada em 17/12/2019 às 20h15min
Flamengo sai atrás, busca virada com show de Bruno Henrique e vai à final do Mundial


Flamengo sofreu, mas venceu o Al Hilal. E agora seu povo pede o mundo de novo!

Em Doha, no Catar, a semifinal do Mundial de Clubes foi difícil. Entretanto, os brasileiros superaram um ótimo primeiro tempo dos sauditas e conquistaram a vaga na decisão após vencer de virada por 3 a 1.

Salem Al-Dawsari marcou pelo Al Hilal, que dominava o Flamengo nos primeiros minutos. A derrota por 1 a 0 no intervalo parecia um bom placar perto do que se via em campo, e assim foi.

Transformados, os rubro-negros voltaram do vestiário com tudo e logo empataram, com gol de Arrascaeta após linda jogada.

 

Superstição ou tática, no meio da etapa final Jorge Jesus repetiu a substituição que fez na decisão da Libertadores, colocando Diego no lugar de Gerson.

Minutos depois, veio a virada com Arrascaeta. Em seguida, o terceiro, gol contra de Al-Bulayhi. Em ambos, Diego começou a criação da jogada.

Com o 3 a 1 finalizado, pela primeira vez no atual formato um Sul-Americano saiu perdendo a semifinal do Mundial de Clubes da Fifa e conquistou a vaga na final.

Ficha técnica

Flamengo 3 x 1 Al Hilal

Gols: Al Hilal: Salem Al-Dawsari Flamengo: Arrascaeta, Bruno Henrique e Al-Bulayhi (contra)

FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson (Diego), Everton Ribeiro e Arrascaeta, Gabigol e Bruno Henrique; Técnico: Jorge Jesus

 AL HILAL: Al-Muaiouf; Al-Burayk, Jang Hyun-Soo, Al-Bulayhi e Al-Shahrani; Carlos Eduardo, Cuéllar, Carrillo e Salem Al-Dawsari; Giovinco (Omar Khrbin) e Gomis; Técnico: Razvan Lucescu

Cartão amarelo: Flamengo: Pablo Marí e Bruno Henrique Al Hilal: Al-Bulayhi, Salem e Giovinco

Público: 21.588 torcedores

Khalifa International Stadium, Doha, Catar

Árbitro: Ismail Elfath (EUA)

Estatísticas

Nos 38 jogos de Jorge Jesus no Flamengo antes desta semifinal, o time terminou o 1º tempo atrás em apenas seis ocasiões: venceu três e perdeu três.

Fazendo seu 51º jogo com a camisa rubro-negra, Arrascaeta soma números incríveis em sua primeira temporada: 18 gols e 19 assistências

Fim do tabu!

Como um todo, cinco sul-americanos não passaram para a decisão: além dos três brasileiros, Atlético Nacional, em 2016, e River Plate, em 2018.

Com isso, uma regra ficou estabelecida para a semifinal com o vencedor da Libertadores: quem faz o primeiro gol vai à final.

O único time que quase quebrou o tabu foi o River, que virou contra o Al Ain em 2018, mas levou o empate e caiu nos pênaltis.

Cartão de visitas!

Jorge Jesus avisou: não se podia menosprezar o Al Hilal. E a fraca performance da equipe contra o Espérance, na fase anterior, logo foi esquecida. O começo de jogo foi todo dos sauditas.

Salem, Carrillo, Giovinco e Gomis subiram as linhas de defesa e não deram espaço para o Flamengo. Com a bola, trocaram passes rápidos e davam o ritmo à partida.

Não demorou para criar a primeira chance real do jogo. Com 15 minutos, Salem entrou na área pela esquerda e recebeu na cara do gol, obrigando Diego Alves a executar um milagre cara a cara. No rebote, Gomis bateu de primeira e errou.

Dois minutos depois, foi fatal. Giovinco lançou Al-Buryak, que pela direita direita rolou para o meio da área, na medida para Salem chegar batendo. A bola desviou em Pablo Marí e morreu no fundo do gol. Diego Alves chegou a tocar na bola, mas não teve como impedir o 1 a 0.

O Flamengo sentiu. O Al Hilal notou. Até o intervalo, o jogo era simplesmente dominado pelos árabes, e na única chance dos brasileiros, o defensor Al-Burayk, mas isso viria a mudar...

Segundo tempo em OUTRO PATAMAR!

Com três minutos, Gabriel acionou Bruno Henrique, que invadiu a área e rolou para Arrascaeta tocar para o fundo do gol. O trio que dominou o Brasileirão e a Libertadores chegou no Mundial.

A pressão não era tão grande, mas o jogo era outro. O Flamengo ditava o ritmo e não era mais o time apático que foi superado nos primeiros 45 minutos.

Com 28 minutos, Diego entrou no lugar de Gerson. Assim como na final da Libertadores, o dedo do treinador, com a mesma substituição, fez efeito.

Três minutos depois, o camisa 10 tocou para Rafinha, que cruzou para Bruno Henrique cabecear para o fundo do gol. Veio a virada.

Barba, cabelo e bigode

Se os últimos minutos poderiam ser de pressão do Al Hilal, logo veio o terceiro gol.

Diego, novamente, passou para Bruno Henrique. Dentro da área, pela esquerda, o nome do jogo puxou para o fundo e bateu para o meio da área, buscando Gabigol. Antes do artilheiro tocar na bola, Al-Bulayhi tentou tirar e fez um gol contra.

Descontrolados, os sauditas perderam a linha e logo Carillo foi expulso por dar um pontapé em Arrascaeta.

Próximos jogos

  • Sábado, 21/12, 14h30, Flamengo x Liverpool ou Monterrey (Final Mundial de Clubes)

  • Quinta-feira, 26/12, 13h50, Al Hazm x Al Hilal (Campeonato Saudita)

  • ESPN

NOTÍCIAS RELACIONADA
Flamengo bate Palmeiras nos pênaltis e leva Supercopa do...
Copa América 2021: Conmebol define novo calendário com dez...
Flamengo vence Inter de virada e assume a liderança do...
Campeonato Baiano terá premiação em...
GALERIAS
CLASSIFICADOS