27/05/2021 às 21h50min - Atualizada em 27/05/2021 às 21h50min
Covaxin: vacina contra Covid-19 tem 100% de eficácia


Duas semanas atrás, no dia 13/05, foi aprovado no Brasil pela Anvisa o ensaio clínico da nova vacina contra Covid-19, a Covaxin. Produzida em colaboração com o Conselho Indiano de Pesquisa Médica e o Instituto Nacional de Virologia, da cidade de Pune, na Índia, a Covaxin utiliza o vírus inteiro inativado para produção da vacina, assim como a Coronavac e a Astrazeneca, ambas já aprovadas no Brasil.

De acordo com dados preliminares, a Covaxin tem 100% de eficácia em relação a casos graves. Para a Coronavac, este índice é de 78% para casos moderados e também de 100% para casos graves. Já para a Astrazeneca, também conhecida como vacina de Oxford, este índice pode variar de 85% a 90%.

Leia mais: Posso parar de usar máscara depois de me vacinar?

O estudo foi solicitado pela Precisa Farmacêutica e vai entrar agora na fase 3 dos testes, em que milhares de pessoas de locais diferentes serão testadas. Os principais objetivos desta fase são demonstrar a segurança e eficácia da vacina no paciente típico, confirmar níveis de dosagem eficazes, identificar efeitos colaterais ou razões pelas quais o tratamento não deve ser administrado a pessoas com outra condição (conhecidas como 'contra-indicações'), construir conhecimento sobre os benefícios do medicamento ou vacina e compará-los com quaisquer riscos. Além disso, também é possível comparar com os resultados com os obtidos atualmente pelos tratamentos existentes. Para saber mais como são feitas as vacinas e como funciona as fases de testes, veja a nossa matéria 'Saiba como são feitas as vacinas'.

Como funcionará o estudo

De acordo com o comunicado oficial do site da Anvisa, o estudo será aplicado em duas doses, com 28 dias de intervalo. Serão 4.500 voluntários por todo o Brasil, nos seguintes estados: São Paulo (3.000), Rio de Janeiro (500), Bahia (500) e Mato Grosso (500). O estudo da vacina também está sendo conduzido na Índia com outros 26,3 mil voluntários, totalizando 30.800 voluntários no estudo global.

Caso a Covaxin seja aprovada, se juntará às vacinas Coronavac e Astrazeneca no Brasil. Atualmente, 10% da população brasileira foi vacinada com as duas doses dos imunizantes, com um total de 21,3 milhões de pessoas vacinadas.

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADA
Exame oftalmológico é principal ferramenta para prevenção de "doenças...
Covid-19: Brasil registra primeiros casos da subvariante XQ; variante é nova mutação recombinante da...
Anvisa aprova uso emergencial de medicamento para...
Hepatite misteriosa: casos já chegam a 228 em 20 países, segundo...
GALERIAS
CLASSIFICADOS