29/09/2023 às 05h48min - Atualizada em 29/09/2023 às 05h48min
Contas do governo registram rombo de R$ 104,6 bi até agosto, aponta Tesouro


BRASÍLIA – As contas do governo registraram um rombo em agosto. A diferença entre as receitas e as despesas (sem contar os juros da dívida) ficou negativa em R$ 26,350 bilhões. O resultado sucedeu o déficit de R$ 35,933 bilhões em julho.

 

O saldo – que reúne as contas do Tesouro NacionalPrevidência Social e Banco Central – é o quarto pior da série histórica para o mês. Em 2020, o recorde negativo foi de R$ 119,844 bilhões no mês, corrigido pela inflação.

Nos oito primeiros meses do ano, as contas do governo acumulam um rombo de R$ 104,590 bilhões – o quarto pior da série histórica em termos reais (descontada a inflação).

Em agosto, as receitas tiveram queda real de 9,1% em relação a igual mês do ano passado. No acumulado do ano, houve baixa de 5,8%.

“No ano passado, teve atipicidade nessas receitas de concessões, dividendos e recursos naturais, que juntas somam cerca de R$ 90 bilhões de diferença em relação a 2022?, disse o secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron.

Ele reforçou que ainda que arrecadação, como já destacado pela Receita e antecipado pelo Estadãoregistrou perdas concentradas em alguns tributos, como o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ). 

Já as despesas encolheram 18,5% em agosto, já descontada a inflação. No acumulado de 2023, a variação foi positiva em 4,5%. O secretário apontou que esse número cresceu em razão, por exemplo, da recomposição da verba de programas federais, como o Bolsa Família. “Eles carregam impacto importante, que já era conhecido”, disse.

 

Meta

A meta fiscal para este ano admite um déficit de até R$ 216,4 bilhões nas contas do governo, de acordo com o último Relatório Bimestral de Avaliação de Receitas e Despesas, publicado em setembro.

Nesse documento, o Ministério do Planejamento e Orçamento estimou um resultado deficitário de R$ 141,4 bilhões, equivalentes a 1,3% do PIB. O Ministério da Fazenda reitera que o governo ainda mira um déficit de 1% do PIB em 2023.

 

por Amanda Pupo e Fernanda Trisotto • Estadão

 

 
NOTÍCIAS RELACIONADA
Felipe Duarte garante obras para o abastecimento de água em...
Ministro de Lula distribui 31 retransmissoras de TV para empresário do seu núcleo...
Felipe Duarte fica indignado com ausência do presidente da ViaBahia em audiência na...
Entidades reagem a vetos em lei orgânica de polícias...
GALERIAS
CLASSIFICADOS